ibbiza  
PRODUTOS
FLUTUAÇÃO
ONDE FLUTUAR...
ABRIR O SEU CENTRO
SAIS PARA BANHOS E SPAS
Benefícios para a saúde
A origem dos sais de Epsom
CONTACT
A origem dos sais de Epsom

O sal de Epsom é velho como o mundo e as suas virtudes são ignoradas por muitos.

A origem do sal de Epsom remonta ao século XVII, em que se vinha beber as águas de Epsom que foi a primeira estação termal na Inglaterra. Estas águas, ricas em minerais, nomeadamente em sulfato de magnésio, eram essencialmente consideradas como um purgativo. A denominação científica do sal de Epsom é de sulfato de magnésio. O sal de Epsom então era fabricado por evaporação das águas minerais. A palavra "sal" refere-se à estrutura química do composto. É completamente diferente do sal de mar, cuja designação é de cloreto de sódio.

Nessa época, o sal de Epsom, era muito popular na Inglaterra e frequentemente utilizado, ainda que, as pessoas que o utilizavam, nem sempre soubessem porque era tão salutar. Não conheciam ainda as suas qualidades anti-sépticas e fortificantes, mas tinham percebido que, de alguma forma, o sal de Epsom era benéfico para a saúde e favorecia a longevidade. Seguidamente, descobriram através de inúmeras utilizações e experiências, que o sal de Epsom podia ser igualmente utilizado para evitar a Esclerose, problemas renais, reumatismos e para corrigir tendências em aumento de peso.

Actualmente, o sal de Epsom é extraído da Dolomite, rocha sedimentar carbonada, composta de pelo menos 50% de dolomite (carbonato duplo de cálcio e magnésio) e cujo nome é derivado de uma zona montanhosa dos “Alpes Tiroleses” chamada "Dolomites". A rocha dolomite, de origem marinha, pertence à grande família de "sais" nos quais uma base alcalina é combinada com um ácido radical para formar uma substância neutra, "o sal". É composta por dois metais alcalino-terrosos, o cálcio e o magnésio, combinados com dois elementos não metálicos, o carbono e o oxigénio, que formam um duplo sal neutro conhecido pelo nome de carbonato de cálcio e de magnésio.

O sal de Epsom também é um "sal" mas, em vez de ser composto por magnésio, oxigénio e carbono, como é o caso do sal de carbono, os seus componentes são o magnésio, o oxigénio e o enxofre. Quimicamente, chama-se sulfato de magnésio heptahidratado. Não se encontra sulfato de magnésio em estado puro, deve ser extraído de uma substância adequada que contendo magnésio suficiente, tal como a dolomite.

O sal de Epsom, ou sal amargo, ou ainda sal de sedlitz, é sulfato mineral de magnésio. É frequentemente utilizado para uso externo num banho quente para eliminar as toxinas e atenuar certas dores alcalinisantes, ajuda por conseguinte a diminuir a acidez do corpo. Um banho relaxante com sal de Epsom é recomendado no processo de recuperação após esforço.
haut de page
une réalisation vbdl-design